A importância da entrevista de desligamento para uma empresa

17 de nov. de 2023
Última alteração 17 de nov. de 2023

Quando um colaborador pede demissão ou é demitido, seja qual for o motivo, é preciso conduzir o processo de desvinculação da empresa de forma adequada e cuidadosa. Uma experiência negativa nessa etapa pode impactar tanto o crescimento profissional futuro do indivíduo quanto a imagem da empresa como empregadora (ou employer branding). 

Mas nem sempre é preciso ser assim. Se realizada de forma adequada, todas as partes envolvidas saem ganhando. Na verdade, esse momento é uma ótima oportunidade para você obter feedbacks valiosos que podem ser usados para melhorar a empresa e contribuir para o desenvolvimento dos seus processos e de suas pessoas.

Saiba mais sobre a importância da entrevista de desligamento, veja como ela pode ser aproveitada pela empresa e confira dicas de como conduzir esse processo de maneira ideal.

Lead Magnet_PT-BR.png

O que é uma entrevista de desligamento

A entrevista de desligamento é um processo individual realizado com um colaborador que está saindo da empresa, seja de forma voluntária ou porque foi demitido. Os principais objetivos de uma entrevista de desligamento são entender o que levou a pessoa a deixar o cargo e obter informações que possam melhorar diferentes aspectos da empresa, como a experiência da equipe, práticas gerenciais, cultura organizacional e condições do local de trabalho.

Por que fazer uma entrevista de desligamento

Uma entrevista de desligamento pode ser uma fonte de informações importantes sobre a cultura corporativa de uma empresa, a eficiência dos processos vigentes e a forma como os colaboradores enxergam a organização. São dados de grande relevância para identificar pontos de melhoria e contribuir para o aprimoramento da employee experience.

Trata-se de uma ferramenta fundamental dentro do processo geral de offboarding, abrangendo questões estratégicas e emocionais para que a demissão seja feita de maneira humanizada e amigável. Além disso, ela permite que o RH dê atenção a um colaborador do mesmo modo que ele recebeu em outros momentos ao longo de sua jornada na empresa, culminando em uma experiência completa, positiva e satisfatória.

Os dados e insights obtidos em uma entrevista de desligamento podem ser aproveitados para:

  1. Reduzir o turnover e aumentar o engajamento

Uma pesquisa recente da Gallup aponta que apenas 30% dos respondentes receberam algum tipo de reconhecimento pelo trabalho feito, enquanto 32% se sentiram positivamente engajados em seus empregos. As lideranças têm deixado a desejar nesse quesito, podendo resultar em insatisfação dos colaboradores e pedidos de demissão.

A entrevista de desligamento oferece um espaço em que você pode ouvir o que um colaborador tem a dizer sobre a empresa. É possível investigar e aprofundar os motivos que levaram a pessoa a deixar a organização, proporcionando um melhor entendimento das variáveis envolvidas nos índices de rotatividade da sua equipe, como falhas na gestão de pessoal, condições de trabalho insuficientes ou outros problemas que afetam o comprometimento e a motivação dos colaboradores. Com essas informações, você pode implementar medidas que contribuam ativamente para a diminuição do turnover, a melhoria do engajamento e o aumento da satisfação do time.

  1. Identificar possíveis melhorias das práticas de RH

A entrevista de desligamento é também uma oportunidade de conhecer a opinião sincera e genuína de alguém que esteve envolvido com a empresa. A conversa pode ser uma ótima forma de identificar problemas de competência na área de Recursos Humanos, como aspectos operacionais e práticos da gestão de pessoas ou ausência de perspectivas de crescimento. 

Usando os dados de forma adequada, você pode criar um ambiente de trabalho mais transparente e acolhedor, fortalecer o diálogo interno, aprofundar os laços entre os membros da equipe e aumentar o sentimento de valorização dos colaboradores.

  1. Aconselhar a gerência

Por ser um momento aberto a críticas e sugestões, o feedback obtido pode ser usado para aconselhar os vários níveis gerenciais da organização. É possível coletar informações úteis para a implementação de melhorias em diferentes aspectos do trabalho, desde a relação com a gerência, os estilos e tipos de liderança praticados, até a cultura empresarial, as condições do local de trabalho e os benefícios corporativos oferecidos.

  1. Aprimorar o clima organizacional

Uma forma estratégica de aproveitar a entrevista de desligamento é compreendê-la como um mecanismo para fazer uma autoanálise e avaliar pontos internos que, talvez, sejam desconhecidos pela área de RH. Uma demissão não se resume apenas a problemas de produtividade de um colaborador ou ao seu desejo de buscar oportunidades melhores. Há diferentes fatores que podem influenciar tal decisão, não importa de que parte ela venha.

Pode ser um problema que afeta o clima organizacional e as relações interpessoais entre os membros da equipe, por exemplo. Todas essas questões precisam ser investigadas em detalhes durante a entrevista de desligamento. Assim, é possível orientar melhor as ações da empresa para que seu impacto seja mais significativo e positivo para os colaboradores e para o sucesso da organização.

  1. Melhorar tanto o employer branding quanto o employee experience

A entrevista de desligamento também é decisiva para construir e manter um employer branding forte. Afinal, se a experiência do colaborador for negativa, a imagem da empresa como marca empregadora pode ser impactada. 

Por isso, ao investir no employee experience, desde o onboarding ao último dia de trabalho, a organização poderá cultivar uma boa relação até com quem não faz mais parte do seu pessoal. A entrevista de desligamento, se bem aproveitada, também pode contribuir para a melhoria da imagem e da reputação da empresa no mercado.

Melhores práticas para fazer uma entrevista de desligamento

Confira algumas práticas e recomendações que podem ajudar você a conduzir uma entrevista de desligamento de sucesso:

  1. Escolha o momento certo para a entrevista

Você já sabe que uma entrevista de desligamento deve ser feita quando um colaborador é demitido ou pede demissão, mas é necessário pensar de forma estratégica para definir o momento exato para isso. Conduzir essa conversa no mesmo dia em que a demissão é comunicada pode influenciar na qualidade das respostas obtidas, por exemplo. Cada caso deve ser analisado de forma individual.

Quando a pessoa precisa cumprir aviso prévio, você terá um período de trinta dias para agendar a entrevista. Já na situação em que o colaborador não ficará mais na empresa após comunicar sua saída, é preciso encarar essa conversa como uma formalidade trabalhista. De qualquer forma, pode ser interessante esperar alguns dias para marcar a conversa, até mesmo para investigar se houve algum problema que motivou a demissão e levantar outras questões específicas à pessoa, que podem ser melhor discutidas durante a entrevista.

  1. Faça um bom planejamento

Para aproveitar esse momento ao máximo, é recomendado que você faça um planejamento da entrevista e pense bem nas perguntas que serão feitas. Cada caso deve ter uma abordagem única, pois as pessoas são diferentes umas das outras, assim como sua percepção da empresa. Também é interessante elaborar questões com objetivos específicos e estratégicos para entender as particularidades do colaborador.

Alguns exemplos de temas para as perguntas na entrevista de desligamento são:

  • motivo do pedido de desligamento, no caso de demissão voluntária;
  • imagem da empresa;
  • dificuldade de desenvolvimento na carreira;
  • opinião sobre o ambiente de trabalho e o clima organizacional;
  • relacionamento com colegas e a gerência;
  • comunicação interna;
  • opinião sobre o desempenho dos outros departamentos;
  • aspectos gerais que podem ser melhorados na organização.

  1. Ofereça um ambiente seguro

Talvez você não tenha ideia de quais informações serão reveladas durante a entrevista. Por isso, é importante que, desde o começo, você ofereça o apoio necessário ao colaborador e crie um ambiente seguro em que a pessoa possa falar o que precisa. Talvez possa haver problemas de conflito de interesses ou, em situações extremas, até um caso de intolerância ou desrespeito mais grave. Transmitir ao membro da equipe que ele pode se abrir com você com segurança é essencial.

Lembre-se também de que o conteúdo da entrevista é confidencial. As informações devem ser usadas de forma estratégica e profissional, não devendo ser expostas a terceiros.

  1. Obtenha o consentimento do colaborador

A entrevista de desligamento deve ser feita por meio de um convite, nunca de forma forçada ou por coação. O colaborador precisa concordar em participar e deve fazer isso de bom grado, sem nada em troca. É recomendado agendar uma data depois que todos os trâmites legais, responsabilidades contratuais e pendências financeiras tiverem sido acertados. Desse modo, você garante que o comportamento e as respostas da pessoa não sejam influenciados por qualquer expectativa ou sentimento de frustração. Ao mesmo tempo, você transmite seriedade, confiança e profissionalismo em nome da empresa.

  1. Filtre o conteúdo e aproveite as informações de forma estratégica

A depender das circunstâncias da demissão, pode ser que o colaborador queira desabafar durante a entrevista e falar mal da empresa. Para evitar constrangimentos, o melhor a fazer é tomar as rédeas da situação e guiar o processo fazendo perguntas específicas que direcionam até as respostas que você busca. Isso não quer dizer que só você fala e a outra parte responde. Deve ser um diálogo direcionado e não um mero questionário. Assim, você não só evita desperdício de tempo, mas também filtra as informações relevantes e garante um aproveitamento estratégico do feedback fornecido.

  1. Humanize o processo

Finalmente, é necessário que o processo seja o mais humano possível, do começo ao fim. Hoje em dia, muitas etapas e procedimentos corporativos têm sido automatizados pelas últimas tecnologias de inteligência artificial. No entanto, quando se trata da gestão de pessoas, é imprescindível que o elemento humano não só continue presente, mas seja reforçado ainda mais. Não é à toa que o seu departamento se chama Recursos Humanos.

Procure se colocar sempre à disposição do seu pessoal, ofereça a orientação necessária, certifique-se de que realmente não haja dúvidas e faça o que estiver ao seu alcance para que todo o processo de desligamento seja realizado de forma positiva e profissional. Mesmo que o colaborador esteja saindo da empresa, é preciso continuar cuidando desse bem tão valioso que é cada membro da equipe.

Como melhorar a experiência da sua equipe dentro e fora da empresa

Pessoas saudáveis e satisfeitas com seu trabalho são mais felizes e mais engajadas, o que se traduz em maiores níveis de produtividade, eficiência e inovação. Uma forma de proporcionar isso à sua equipe é por meio de benefícios de bem-estar. 85% das lideranças de RH disseram que programas de bem-estar reduzem os custos de gestão de pessoal, como recrutamento de talentos e medidas para promover a retenção e o engajamento dos colaboradores.

O Gympass pode ser seu parceiro nisso, com uma abordagem integral a partir de uma rede de academias, estúdios, aplicativos, personal trainers e aulas, para contribuir com a saúde e a qualidade de vida dos seus colaboradores. Converse com um de nossos especialistas em bem-estar para saber mais.

Fale com um especialista em bem-estar_BR2.png

Referências


Compartilhe


Gympass Editorial Team

A Equipe Editorial do Gympass traz aos líderes de RH as informações necessárias para promover o bem-estar dos colaboradores. Em um cenário profissional em rápida evolução, nossas pesquisas, análises de tendências e guias práticos são ferramentas importantes para levar cada vez mais satisfação e saúde ao ambiente de trabalho.