Bem-Estar Corporativo

Como criar uma estratégia de benefícios de RH eficaz e atraente

1 de ago. de 2023
Última alteração 1 de ago. de 2023

Quando chega o momento de contratar alguém para um cargo em sua empresa, consegue notar o que os melhores talentos procuram? Do que essas pessoas não abrem mão para aceitar a vaga? Nós apostamos nossas fichas em dois principais interesses: um salário compatível e um bom pacote de benefícios de RH. Afinal, esses são dois fatores que podem diferenciar sua empresa da concorrência na disputa por profissionais de destaque no mercado de trabalho! 

Foi-se o tempo em que bastava oferecer um bom salário para atrair o interesse das pessoas por uma vaga de emprego. Hoje em dia, elas precisam de certos benefícios e incentivos para trabalhar e produzir no mundo agitado em que vivemos. Além disso, é fato que contar com algumas vantagens e regalias atraentes não faz mal a ninguém.

Mas, infelizmente, nem sempre é fácil criar uma estratégia de benefícios que realmente atenda às expectativas e desejos dos colaboradores. Por conta disso, quase metade (49%) da força de trabalho mais qualificada no mercado pretende mudar de emprego em 2023, e 35% dessas pessoas apontam a busca por melhores benefícios como a causa desse movimento. Para a liderança corporativa e gerência de RH, esses números podem ser assustadores! Então, o que você pode fazer para evitar a fuga de profissionais de alto nível e garantir que a equipe desfrute dos melhores benefícios possíveis? A resposta é simples: uma estratégia de benefícios de RH bem estruturada.

Definir os benefícios oferecidos não é “só mais uma” entre as demais tarefas do departamento de RH. Na verdade, uma boa estratégia de benefícios corporativos vai muito além de apenas implementar esses programas. É preciso entender a cultura, os valores e os objetivos de mercado da sua empresa, para que você possa criar um plano alinhado a esses critérios (e vice-versa). Resumindo, uma estratégia competitiva de benefícios precisa incluir:

Por isso, é importante conhecer esses diferentes tipos de incentivos, saber como criar uma estratégia de benefícios de RH e monitorar o impacto que eles podem ter não somente na força de trabalho, mas também na cultura da empresa.

Por que uma estratégia de benefícios de RH é tão importante?

Colocar em prática uma boa estratégia de benefícios favorece não somente sua equipe, mas também a própria empresa. Ou seja, uma relação que traz real vantagem para todos os lados. Ter recursos incríveis ao seu alcance e diferentes meios para cuidar da saúde ocupacional das pessoas é uma garantia de comportamentos positivos no ambiente de trabalho.

Atraindo (e mantendo) os melhores currículos em seus respectivos campos de atuação, uma gestão estratégica de benefícios ajuda a contratar e reter colaboradores de alto desempenho em sua empresa. Um pacote de benefícios sólido também é a base para elevar a satisfação e a motivação das pessoas, o que, por sua vez, afeta positivamente o engajamento do time, a cultura organizacional, a produtividade e o sucesso do negócio como um todo.

Nesse sentido, você deve enxergar o pacote de benefícios como a força motriz que impulsiona uma estratégia de RH mais abrangente. Essa postura permite que as organizações sejam mais seletivas na hora de contratar, pois oferece um incentivo positivo e valioso para os talentos mais disputados. No mercado de trabalho competitivo de hoje em dia, as empresas precisam ser estratégicas com sua oferta de benefícios e garantir que eles atendam às expectativas e necessidades da equipe.

Passos para criar uma política de benefícios de RH de sucesso

Identifique as necessidades da equipe

Um primeiro passo importante no desenvolvimento de uma estratégia de benefícios é avaliar com cuidado as necessidades e expectativas dos colaboradores. O que sua equipe gostaria de extrair do programa de benefícios? E o que ele realmente oferece? Procure ter uma ideia das principais dúvidas e questionamentos sobre o assunto e, em seguida, conduza uma pesquisa interna sobre o tema. Essa ação pode revelar informações importantes sobre como as pessoas enxergam seus benefícios e ajudar a identificar lacunas entre o que a empresa oferece atualmente e o que o time realmente deseja.

Uma pesquisa de satisfação interna pode ser realizada de diversas formas: pessoalmente, através de um formulário online ou por meio de uma combinação desses dois métodos para coletar os dados necessários. A metodologia de pesquisa que você escolher vai depender, principalmente, do tamanho e da composição de sua organização. Por exemplo, uma pesquisa presencial pode ser útil para empresas com uma equipe menor, enquanto uma pesquisa online pode ser mais indicada para organizações com um número maior de pessoas.

Além de avaliar as preferências de cada integrante da empresa, você também deve se atentar aos dados demográficos da população geral e cruzá-los com os dados demográficos específicos da sua organização. Que grupos etários fazem parte da equipe? Qual é a divisão por gênero? A maioria tem filhos? Tudo isso pode influenciar os tipos de benefícios que você oferece e as opções de assistência médica disponíveis.

Defina metas e objetivos

Depois de saber o que a equipe precisa e deseja, você pode voltar sua atenção para a definição dos objetivos que sua estratégia de benefícios deve alcançar. Quais são as necessidades mais urgentes dos colaboradores?

Por exemplo, se sua organização contar com muitas pessoas com famílias jovens, pode ser interessante incluir a licença parental como parte da estratégia de benefícios de RH. Se você já oferece esse suporte parental remunerado, mas com um valor abaixo do padrão do setor, considere aumentar o período de licença para equilibrar as vantagens desse benefício.

Outra prioridade que você deve incluir entre os objetivos dos benefícios é a construção de um programa que priorize a inclusão. As pessoas têm vidas e prioridades diferentes, por isso, quando receber o feedback da equipe, realmente tome medidas com base nas respostas obtidas e incorpore tais expectativas aos objetivos.

Por fim, os objetivos também devem ser mensuráveis. Defina métricas de desempenho para que você possa acompanhar e comparar com os padrões do seu setor. Alguns benchmarks comuns que ajudam o departamento de RH a avaliar seus benefícios incluem:

  • Custo anual por colaborador
  • Uso de cuidados preventivos
  • Porcentagem de condições crônicas
  • Engajamento do time com questões de saúde
  • Utilização dos benefícios fora da rede credenciada
  • Análise de reclamações
  • Uso de farmácia especializada

Planeje seu orçamento

Será que você tem toda a verba que gostaria para alcançar esses objetivos? Sejamos realistas: nem sempre é fácil equilibrar as necessidades e desejos da sua equipe com o orçamento disponível. Também é importante balancear a importância que o salário tem quando comparado com os benefícios e garantir que os gastos atuais estejam alinhados com os objetivos mais importantes.

Embora os orçamentos das organizações variem bastante, o ideal é planejar com bastante antecedência, especialmente se você souber que pode haver mudanças orçamentárias. Lembre-se de que alguns benefícios podem gerar deduções de impostos junto ao governo, o que já pode fazer uma certa diferença e trazer economia para seus resultados. 

Planejar antecipadamente também ajudará você a evitar aquelas decisões de última hora, que podem ter um impacto negativo na equipe e colocar em risco os benefícios que as pessoas usam. Por exemplo, se você planeja aumentar a duração da licença-maternidade, aderindo ao Programa Empresa Cidadã, deve prever como isso afeta o orçamento atual (mesmo contando com abatimento de impostos) e como influencia na rotina de trabalho das equipes que sentirão essa ausência prolongada.

Crie um plano de engajamento

Agora é hora de envolver e empolgar seus colaboradores, estimulando um maior engajamento com a política de benefícios de RH. Se a equipe não tiver vontade de usar os benefícios (ou, simplesmente, não souber como), a estratégia perde força e não terá os resultados esperados. Um plano de engajamento descreve as medidas que a empresa tomará para engajar as pessoas e ajudá-las a entender as vantagens de aproveitar os benefícios disponíveis. O plano também costuma incluir como você pretende incorporar as necessidades e ideias dos colaboradores.

Planejar a estratégia para o engajamento dos colaboradores é especialmente importante conforme a abordagem da empresa para conceder os benefícios. Com um sistema predefinido, a liderança decide quais vantagens oferece, mas os colaboradores têm um certo controle sobre onde são usadas. Com uma abordagem de benefícios flexíveis, a gestão da empresa oferece à equipe um menu de opções, e cada pessoa escolhe quais prefere usar.

Divulgue os benefícios de forma clara e transparente e ofereça materiais de apoio, digitais ou impressos, para que sejam consultados facilmente sempre que alguém tiver dúvidas sobre o pacote de incentivos. Além disso, pergunte à equipe se existe alguma dúvida e se disponha a esclarecer qualquer questão, especialmente quando você apresentar os benefícios pela primeira vez! Dica: antecipar as perguntas mais comuns pode poupar tempo e evitar confusões. E, claro, deixe claro como aderir ao programa e começar a aproveitar os benefícios.

Mensure o impacto

Por fim, não se esqueça desta última etapa da sua estratégia de benefícios de RH: mensurar o impacto do pacote de benefícios! Você pode fazer isso avaliando quantas pessoas aderiram ao programa e estão aproveitando os benefícios e através do feedback dos colaboradores sobre o funcionamento do sistema.

Isso significa que você ainda precisará conduzir pesquisas constantes de opinião para ter uma noção real da satisfação da equipe com os benefícios propostos. É normal passar por algumas tentativas e erros, então não tenha receio de fazer ajustes ao seu plano quando sentir que é necessário! 

Monitorar o impacto da sua estratégia também inclui acompanhar a saúde financeira e a situação geral da organização. Agindo de forma proativa, você pode identificar com mais eficácia quaisquer problemas potenciais logo no início e decidir se é preciso fazer alguma mudança relacionada aos benefícios oferecidos.

O que define uma boa estratégia de benefícios de RH?

Implementar uma estratégia de benefícios de sucesso talvez não seja uma tarefa das mais fáceis, mas líderes que ouvem o que a equipe tem a dizer são capazes de transformar sua empresa em um lugar gratificante e saudável para se trabalhar! 

Para que isso aconteça, é preciso demonstrar uma boa dose de empatia, traçar um planejamento estratégico e promover a conscientização de todas as partes interessadas. Essas ações, naturalmente, resultam no aumento da satisfação e do engajamento dos colaboradores, na diminuição da rotatividade e melhores resultados para a empresa.

Mas lembre-se: para ser competitiva nos dias atuais, toda estratégia de benefícios de RH precisa oferecer programas de bem-estar que promovam a saúde e a qualidade de vida da sua força de trabalho. Por isso, se você precisa de uma solução completa para proporcionar mais satisfação para a equipe de sua empresa, converse com um especialista do Gympass e descubra o que podemos fazer pela sua empresa. Com acesso facilitado a dezenas de academias de ginástica e aplicativos de autocuidado, você terá à disposição os melhores recursos para estimular o bem-estar físico e mental das pessoas que trabalham ao seu lado. E isso, claro, é ótimo para a saúde do seu time e do seu negócio!

CTA_BR_2.png

Referências


Compartilhe


Gympass Editorial Team

A Equipe Editorial do Gympass traz aos líderes de RH as informações necessárias para promover o bem-estar dos colaboradores. Em um cenário profissional em rápida evolução, nossas pesquisas, análises de tendências e guias práticos são ferramentas importantes para levar cada vez mais satisfação e saúde ao ambiente de trabalho.