Bem-Estar Corporativo

O que você precisa saber sobre o organograma da sua empresa

13 de dez. de 2023
Última alteração 13 de dez. de 2023

Empresas costumam ter um organograma que demonstra como as coisas funcionam em sua estrutura organizacional. Isso é importante para a gestão de pessoas, trazendo transparência sobre as relações de trabalho e permitindo que todos entendam melhor os seus papéis naquele ecossistema.

Com diferentes modelos e utilidades, fazer uso de um organograma pode ter um impacto positivo no bem-estar da equipe. Além disso, ele ajuda a identificar situações que merecem atenção. Afinal, se o organograma deixa de refletir o que acontece no dia a dia da empresa, pode ser um sinal de problemas operacionais ou falhas na estrutura escolhida.

Lead Magnet_PT-BR.png

Definindo o organograma de uma empresa

O organograma é uma representação visual de como uma empresa se estrutura internamente, em termos de cargos, papéis e esquema de trabalho. Tudo fica disposto em um gráfico, que também mostra as conexões entre esses elementos no formato de trabalho adotado pela organização. Por exemplo, a posição de analista de RH pode aparecer ligada às lideranças de Recursos Humanos e alinhada aos cargos de analista em outros departamentos.

Pontos-chave de um organograma

O organograma de uma empresa reflete uma série de escolhas feitas para que o andamento do trabalho possa trazer os resultados esperados. Em geral, isso envolve:

  • A segmentação do trabalho, por exemplo, em setores, departamentos e equipes
  • A elaboração de um plano de cargos, com funções e responsabilidades associadas às necessidades de cada segmento e da empresa em geral
  • O fluxo das interações entre os segmentos, além das possíveis relações hierárquicas na organização 

Dependendo do porte, estilo de gestão e outros detalhes específicos, o organograma de uma empresa também pode abranger unidades operacionais em vários endereços, indicar os graus de participação de acionistas e incluir conselhos de governança.

Modelos de organograma empresarial

Existem vários modelos de organograma empresarial, mas todos se concentram na força de trabalho de uma única empresa e refletem as características da sua estrutura organizacional. Os principais exemplos de modelos são:

Vertical ou piramidal

É um modelo tradicional, que costuma ser usado por empresas com estrutura organizacional baseada em hierarquia. O esquema vertical ou em forma de pirâmide deixa claro que o maior grau de autoridade está no topo e os níveis hierárquicos vão diminuindo até a base.

Circular

Também conhecido como radial, esse modelo tem uma perspectiva mais inclusiva. Ainda assim, as relações de subordinação ficam marcadas pela distância até o meio do gráfico. Isso porque os elementos são dispostos em vários círculos cujo centro é a liderança da empresa.

Horizontal e descentralizado

Diferente dos modelos mencionados anteriormente, que marcam uma cadeia de autoridade atrelada às lideranças que ocupam o topo ou o centro do gráfico, nas empresas com estrutura organizacional mais flexível, o organograma reflete o fluxo de trabalho com diferentes formas de marcar a interação entre os elementos dispostos no espaço. Por exemplo, isso torna possível demonstrar que um colaborador se reporta a mais de uma liderança ou que as equipes têm autonomia mesmo atuando de forma coordenada.

Dica: para esclarecer ainda mais o esquema de cargos e as interações necessárias no trabalho, também pode ser interessante fazer gráficos específicos por unidade, setor, departamento, equipe etc. Mas lembre-se que tudo precisa estar nitidamente associado ao organograma geral da empresa.

Como usar o organograma da empresa na gestão de pessoas

É importante que a gestão de Recursos Humanos tenha acesso ao organograma da empresa. Afinal, isso permite uma visualização rápida e completa de como a organização direciona as pessoas para a conquista de seus objetivos.

Veja três maneiras de usar o organograma como ferramenta de RH:

  1. Orientação de estratégias

O organograma contém uma série de informações a serem consideradas ao planejar, implementar e acompanhar a evolução das estratégias de RH. Esse é um documento essencial em fases de mudança, por exemplo, quando a empresa precisa passar por uma reestruturação em seu quadro de funcionários ou se adaptar a um modelo de trabalho flexível.

Além disso, é recomendado ter o organograma em mente ao elaborar uma estratégia de Total Rewards, tomar decisões quanto ao plano de desenvolvimento de carreiras ou definir formas alternativas de organizar a força de trabalho para aumentar o bem-estar da equipe.

  1. Integração de novos colaboradores

A equipe de RH pode usar o organograma (ou uma versão simplificada desse documento) para apresentar a empresa aos novos colaboradores no processo de onboarding. Assim, é possível mostrar um panorama completo da organização e fornecer uma referência sobre os papéis que esses profissionais vão assumir, a quem eles vão se reportar e quem vai se reportar a eles, o tipo de apoio esperado entre os departamentos e outras informações básicas nessa fase.

Essa visão estrutural evita ambiguidades no processo de integração e facilita a comunicação com futuros colegas de trabalho. Entre as empresas que adotam boas práticas para integrar novos colaboradores, 75% têm times que trabalham em sincronia e profissionais solícitos.

  1. Identificação da força de trabalho

O organograma também pode servir de base para o RH montar um diretório de colaboradores com fotos, nomes, informações de contato e outros dados relevantes. Além de identificar a posição de cada pessoa no quadro geral, isso contribui para uma melhora de qualidade na interação com a equipe e facilita as iniciativas de reconhecimento profissional dos colaboradores.

No cenário atual, 73% das empresas que usam inteligência artificial contam com recursos de IA na automação de processos de fluxo de trabalho. Isso só reforça a importância de usar os recursos disponíveis para estreitar o relacionamento com os colaboradores, principalmente em empresas que contam com um grande número de profissionais em esquemas de trabalho remoto ou flexível.

Valorize a força de trabalho que move a sua empresa

O organograma é um espelho de como as pessoas movem uma empresa em direção a seus objetivos. Ao entender esse panorama, fica mais fácil criar um ambiente saudável, harmônico e inclusivo. Isso faz uma grande diferença para o bem-estar no trabalho e se torna uma vantagem competitiva para a organização.

Empresas que valorizam seu capital humano observam o impacto da estrutura organizacional na satisfação dos colaboradores e podem usar o organograma para tomar melhores decisões em benefício de sua força de trabalho. Oferecer um programa de bem-estar corporativo, como o Gympass, estimula os colaboradores de todos os níveis, cargos e times a cuidarem de sua saúde de forma integral.

Quer saber mais? Fale com um dos nossos especialistas em bem-estar para saber como você pode levar o benefício do bem-estar para sua força de trabalho.

Fale com um especialista em bem-estar_BR1.png

Referências


Compartilhe


Gympass Editorial Team

A Equipe Editorial do Gympass traz aos líderes de RH as informações necessárias para promover o bem-estar dos colaboradores. Em um cenário profissional em rápida evolução, nossas pesquisas, análises de tendências e guias práticos são ferramentas importantes para levar cada vez mais satisfação e saúde ao ambiente de trabalho.