Bem-Estar Corporativo

O que é downsizing?

2 de fev. de 2024
Última alteração 2 de fev. de 2024

Você já deve ter ouvido por aí que "menos é mais", não? Essa frase, quando usada no contexto correto, indica que uma redução — em todos os sentidos possíveis — pode ser benéfica, e vale para os mais diferentes cenários. 

No mundo corporativo, por exemplo, sempre se acreditou que o crescimento de uma empresa era evidenciado pelo aumento no número de colaboradores. Mas nem sempre isso é verdade e, em alguns momentos, enxugar o quadro pessoal é a melhor atitude de governança a ser tomada para o bem de todos. 

Esse processo de readequação e diminuição do número de membros da equipe recebe o nome de downsizing e, se você trabalha com gestão de pessoas, compreender esse conceito e saber como aplicá-lo é fundamental no ambiente de negócios da atualidade.

Guia definitivo de RH.png

O que é downsizing?

De forma resumida, implementar um processo de downsizing em uma empresa significa reduzir o tamanho da organização; ou seja, a quantidade de pessoas trabalhando nela. Mas o downsizing é uma ação que vai além do corte de colaboradores, e quase sempre está ligado a uma mudança estratégica de negócio.

Para ajudar a entender, vamos imaginar um time de futebol. Apenas 11 jogadores entram em campo em cada partida, mas, é preciso contar com reservas para repor aqueles que se machucam. Em cada partida, há um limite máximo de substituições, e o treinador pode levar 22 jogadores para cada jogo. No entanto, o clube conta com um plantel de 40 atletas, e alguns raramente são relacionados para as partidas. Além disso, há cinco goleiros no time, uma posição que quase nunca precisa de substituições, mas falta um atacante para suprir o titular da posição quando for preciso. E, claro, todos recebem seus salários, mesmo sem jogar.

Percebeu como há um inchaço na equipe? Diminuir a quantidade de jogadores e remanejar o número de atletas para cada posição pode resultar em um time melhor estruturado para o treinador, e a uma folha de pagamento mensal menos pesada para o clube. Isso é downsizing.

Downsizing: significado

Para compreender ainda melhor o conceito de downsizing, é interessante atentar para o significado do termo. Esse é mais um estrangeirismo que se fixou no glossário do mercado de negócios brasileiro, e, em tradução livre para o português, quer dizer algo como "diminuição, redução de tamanho ou encolhimento". 

Esse encolhimento não indica, necessariamente, que o negócio está indo mal e precisou reduzir despesas para sobreviver. Na verdade, pode ser o contrário: por ter uma gestão moderna e eficiente, a organização se sente capaz de enfrentar os desafios do mercado com uma estrutura otimizada, onde há menos cargos, menos burocracia e, consequentemente, menos colaboradores ligados à empresa.

Vantagens do downsizing

Nem toda empresa precisa passar por um processo de downsizing, e essa decisão deve ser tomada com base em uma visão muito clara dos objetivos desejados com essa iniciativa. 

Na maioria das vezes, as organizações que optam por implementar essa política percebem que seu organograma conta com cargos e níveis hierárquicos obsoletos, e que essa estrutura acaba gerando um fluxo de trabalho mais engessado, onde há pouca flexibilidade e muita demora na tomada de decisões importantes.

Assim, algumas vantagens que o downsizing pode oferecer a uma empresa são:

  • diminuição de processos burocráticos internos
  • redução de custos e despesas operacionais
  • mais agilidade na tomada de decisões
  • fluxo de informações mais transparente e comunicação interna mais veloz
  • aumento da eficiência operacional
  • maior flexibilidade para se adaptar ao mercado e à concorrência
  • ambiente de trabalho mais leve e descomplicado
  • melhora da sinergia entre as equipes
  • mais saúde financeira para a operação
  • aumento do valor de mercado da organização.

Como implementar um processo de downsizing em sua empresa

Agora que já ficou claro o que é downsizing e as vantagens de aplicar essa iniciativa em uma organização, a próxima pergunta é: como fazer isso? Esse pode ser um processo delicado. Além de ser uma mudança estratégica de posicionamento, também causa um impacto direto no principal ativo de qualquer empresa: as pessoas da equipe.

O desafio, geralmente, recai sobre o departamento de Recursos Humanos, e se você trabalha na área, precisa entender como implementar essa política da melhor forma possível. Cada empresa vive uma realidade diferente e não existe uma receita mágica. Mudanças como essa sempre podem gerar desconforto e apreensão, mas com as sugestões a seguir, o caminho para construir uma organização mais leve e ágil pode ser menos traumático.

  1. Avalie

A primeira atitude a ser tomada é fazer uma ampla avaliação da estrutura da companhia. Só assim será possível identificar se existem — e quais são — áreas, departamentos e cargos que podem passar por uma remodelagem. Essa análise caberá à liderança geral da empresa, mas contará com seu fundamental apoio como responsável pela gestão de pessoas na organização.

  1. Planeje

Após fazer esse diagnóstico estrutural e estratégico da operação, é hora de planejar as ações. Em muitos casos, implantar o downsizing em uma companhia é um processo lento e gradual, que vai eliminando cargos antigos e reformulando os departamentos um de cada vez. Isso torna a experiência menos impactante para os colaboradores afetados, e também ajuda os membros da equipe que permanecem a se adaptar ao novo desenho. Nesse sentido, é preciso eleger quais áreas devem passar pelo enxugamento de maneira prioritária, e até mesmo criar um cronograma de implantação das ações, junto à liderança da empresa.

Nessa etapa, também vale entender qual será a repercussão financeira para a empresa com as futuras demissões. Se os colaboradores impactados trabalham em regime CLT, será preciso prever os custos dos encargos trabalhistas e verbas rescisórias, e avaliar se a organização tem esses recursos à disposição. Uma alternativa que pode ser estudada é a demissão por acordo, mas isso depende da concordância de cada profissional desligado.

  1. Execute

Chegou a hora de agir e começar a remodelar a estrutura da companhia. É um momento desafiador, que irá envolver o desligamento de colegas da equipe, e todo esforço para suavizar essa ruptura é válido. Procure implementar um processo de offboarding bem estruturado, que ajude a realizar demissões humanizadas e valorize as pessoas que estão deixando o time. Isso pode envolver a realização de uma entrevista de desligamento com cada integrante que será demitido, onde seu departamento explica os motivos da reestruturação, fornece apoio psicológico e colabora com orientações importantes para uma rápida recolocação no mercado de trabalho.

  1. Monitore

Feitos os ajustes no quadro de pessoal da empresa, o foco da gestão de recursos humanos se volta para quem ficou. Demissões e partidas de colegas mexem com o emocional dos colaboradores que permanecem no time, o que pode causar ou aumentar a ansiedade no trabalho. É preciso agir rápido para evitar qualquer foco de desinformação ou uma onda que impacte negativamente o clima organizacional

Aja com transparência e tome iniciativas para explicar ao time o processo pelo qual a empresa está passando, e indique como as mudanças serão benéficas para todos. Procure mostrar também como o fato de terem permanecido na equipe é um sinal de que a empresa valoriza e confia no trabalho que realizam. Ajude a promover um ambiente de trabalho psicologicamente seguro e saudável no dia a dia da organização.

Por fim, tenha ações que possam trazer mais positividade e bem-estar para a rotina diária dessas pessoas da empresa. Isso ajuda a renovar os ares, engajar a equipe neste novo momento da organização e motivar a força de trabalho. Hoje em dia, já se sabe que quem trabalha feliz trabalha melhor e pode gerar até 12% de lucro a mais para a empresa. Uma das formas de alcançar esse objetivo é fornecer recursos e incentivos para melhorar a qualidade de vida no trabalho e promover a saúde física e mental dos seus colaboradores. 

Incorporar esses recursos ao plano de benefícios corporativos e facilitar o acesso da equipe a eles proporciona uma vida pessoal e profissional mais ativa, equilibrada e produtiva. E o Gympass pode ajudar você a cuidar da melhor forma possível do seu time. Somos especialistas em bem-estar corporativo, e nossa rede conta com milhares de academias, estúdios, aplicativos e profissionais especializados. Cada colaborador só precisa escolher como prefere cuidar do corpo e da mente.

Fale com nossos especialistas, e saiba como a plataforma de bem-estar corporativo mais amada do mundo pode colaborar com o sucesso do seu negócio. 

Fale com um especialista em bem-estar_BR2.png

Referências


Compartilhe


Gympass Editorial Team

A Equipe Editorial do Gympass traz aos líderes de RH as informações necessárias para promover o bem-estar dos colaboradores. Em um cenário profissional em rápida evolução, nossas pesquisas, análises de tendências e guias práticos são ferramentas importantes para levar cada vez mais satisfação e saúde ao ambiente de trabalho.