Bem-Estar Corporativo

Soft skills: 5 qualidades comportamentais que todo profissional deveria ter

8 de dez. de 2023
Última alteração 8 de dez. de 2023

As transformações na esfera do trabalho em decorrência dos avanços tecnológicos – em especial com o aperfeiçoamento e o uso em larga escala da inteligência artificial (IA) generativa – têm sido fonte de preocupação para algumas pessoas e motivo de entusiasmo para outras.

O Fórum Econômico Mundial (WEF) prevê que cerca de 23% dos empregos sofram alterações até 2027, com 69 milhões de novas funções criadas e 83 milhões eliminadas.

A mudança é certa e, para acompanhar seus desdobramentos, as empresas terão que agir rápido: a estimativa do WEF é que 6 em cada 10 profissionais precisarão de treinamento e cerca de 44% das habilidades deverão ser atualizadas.

Embora os aspectos técnicos sejam vitais para se manterem competitivas, as organizações precisam concentrar seus esforços na gestão do capital humano, investindo, sobretudo, nas soft skills de seus colaboradores como estratégia de diferenciação no mercado.

O Futuro do Trabalho.png

O que são soft skills?

Em tradução livre, soft skills são habilidades comportamentais relacionadas à forma como uma pessoa lida com situações e com outros. O termo é muito usado pelo departamento de Recursos Humanos para designar competências subjetivas, difíceis de mensurar.

Nem sempre as soft skills têm relação direta com as tarefas que os colaboradores executam ou com o cargo que ocupam. Ao contrário, são úteis em quaisquer circunstâncias, pois orientam o modo de agir, de pensar e de administrar as emoções.

Em uma situação de conflito no trabalho, por exemplo, algumas soft skills como a capacidade de comunicação e expressão, o tratamento respeitoso a todas as partes envolvidas e a adoção de uma postura imparcial são vitais para a resolução pacífica do problema.

A diferença entre soft skills e hard skills

De maneira resumida, as soft skills são as habilidades comportamentais, enquanto as hard skills são as competências técnicas.

  • Soft skills: são os traços de personalidade, as características emocionais, as aptidões sociais. As soft skills podem ser adquiridas ou desenvolvidas por meio da capacitação ou são resultantes das experiências ao longo da vida.
  • Hard skills: dizem respeito à formação acadêmica, à fluência em determinado idioma, à facilidade de lidar com cálculos matemáticos ou à capacidade de operar equipamentos complexos, por exemplo. As hard skills são passíveis de comprovação mediante diplomas, certificados ou testes práticos.

Quais são as soft skills mais valorizadas pelo mercado?

Segundo pesquisa conduzida pela Robert Half, 47% dos respondentes afirmam que o conhecimento ou a especialização diferenciada são fatores determinantes para um aumento de salário na empresa. Isso sugere que certas habilidades comportamentais podem acabar impactando significativamente a construção de uma estratégia de remuneração e benefícios consistente. O estudo ainda aponta as soft skills mais demandadas por setores específicos. No geral, as principais delas são:

  1. Flexibilidade

A flexibilidade não se resume à adoção de modelos de trabalho remoto ou híbrido. Na verdade, empresas estão buscando profissionais com mais autonomia para assumir riscos, e proatividade para sugerir ideias que melhorem a dinâmica do trabalho.

As organizações querem que seus colaboradores tenham competências de autogestão e contribuam para o seu próprio desenvolvimento pessoal, a partir da experimentação de novas rotinas, tarefas ou responsabilidades.

  1. Comunicação

A comunicação assertiva sempre foi um grande desafio para as empresas. Engajar os líderes como comunicadores segue como uma das prioridades do departamento de Recursos Humanos. Uma pesquisa apontou que seis a cada dez profissionais já tiveram algum problema de comunicação com seus gestores, sendo a ausência de feedback construtivo a principal razão.

Pessoas que sabem se expressar de forma objetiva e empática, e que praticam a escuta ativa, conseguem captar a atenção dos interlocutores. As mensagens são transmitidas com mais clareza, evitando o retrabalho e a consequente queda na produtividade. As relações interpessoais tornam-se mais sólidas, o que favorece um ambiente de trabalho psicologicamente seguro e saudável para todos.

  1. Adaptabilidade

A adaptabilidade – também referenciada como resiliência por alguns – é a habilidade de se adequar às mudanças sem que elas causem grandes níveis de estresse. É a decisão de adotar uma postura otimista e encarar problemas ou cenários complexos como oportunidades para o crescimento e o amadurecimento.

A transformação digital tem feito com que as empresas repensem seus modelos de gestão de pessoas, seus procedimentos e, em alguns casos, até o propósito do negócio. Esses ajustes são necessários para as empresas permanecerem competitivas e eficientes. O mesmo ocorre com seus colaboradores: quem consegue acompanhar o ritmo das mudanças tende a ser mais confiante e hábil para propor soluções ou otimizar suas tarefas.

  1. Visão estratégica

A visão estratégica é a capacidade de enxergar processos ou cenários de modo global e de diferentes perspectivas. Isso permite às pessoas identificarem tendências ou obstáculos com mais facilidade e precisão, e se antecipar à concorrência na formulação de respostas.

O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) constatou que as principais causas do fracasso das empresas brasileiras estão relacionadas à falta de planejamento prévio e ao desconhecimento de informações importantes sobre o mercado. A visão estratégica, aliada ao desenho de uma estrutura organizacional voltada aos objetivos do negócio, pode ajudar você a reverter esse cenário.

  1. Empreendedorismo

O empreendedorismo significa muito mais que o desejo de abrir o seu próprio negócio. O conceito engloba a vontade de inovar, de gerar empregos, de melhorar a qualidade de vida das pessoas e de contribuir para o crescimento da economia.

Ter um perfil empreendedor é assumir o “senso de dono”, ou seja, se preocupar de modo genuíno com a empresa e ter iniciativa para propor ações criativas, com foco nos resultados almejados.

Como desenvolver as soft skills dos colaboradores

O dinamismo do mundo moderno exige que as empresas e os colaboradores estejam preparados para lidar com rápidas mudanças. Uma das estratégias mais eficazes para acompanhar esse cenário é apostar no aprendizado contínuo, e isso inclui o aperfeiçoamento das soft skills de sua força de trabalho. E você pode fazer isso mediante a:

Elaboração de um plano de desenvolvimento individual

Um plano de desenvolvimento individual (ou PDI) é um dos instrumentos mais utilizados para orientar seus colaboradores sobre os aspectos que precisam ser ajustados pensando em seu crescimento profissional. Por meio da avaliação de desempenho, você consegue mapear os pontos fortes e que precisam de desenvolvimento para cada integrante da equipe. Em seguida, você deve estruturar o PDI, definindo as metas de carreira e as ações necessárias para alcançar esses objetivos.

Instituição de uma plataforma de educação corporativa

Ter uma plataforma de educação corporativa é uma excelente iniciativa, não apenas para viabilizar o treinamento e a capacitação, mas também para demonstrar sua preocupação com o desenvolvimento de seus colaboradores.

Por meio do e-learning (aprendizado eletrônico), você economiza tempo, garante a segurança e a confidencialidade em relação aos dados pessoais e acompanha a evolução de cada integrante da equipe com facilidade e rapidez. Além disso, as pessoas se sentem valorizadas e os níveis de produtividade e engajamento tendem a aumentar.

Implementação de um programa de coaching

Um programa de coaching também é outra ferramenta poderosa, voltada ao autoconhecimento e à descoberta de potenciais competências. O processo se dá por meio de sessões individuais entre um profissional certificado em coaching (treinador) e o colaborador que será avaliado. O objetivo é o aprimoramento de aspectos comportamentais capazes de impulsionar o desempenho profissional.

A influência do bem-estar no desenvolvimento de soft skills

Tendo em mente as 8 dimensões do bem-estar, investir na capacidade cognitiva de seus colaboradores por meio do desenvolvimento de suas soft skills pode ser uma boa prática para manter a força de trabalho motivada e engajada.

Além disso, oferecer um programa de bem-estar holístico cria condições para que as equipes exerçam suas atividades mais dispostas, felizes e produtivas. Se você quer saber por onde começar, fale com um dos especialistas do Gympass e descubra uma série de recursos para apoiar ainda mais seus colaboradores em suas necessidades de saúde e qualidade de vida.

Fale com um especialista em bem-estar_BR1.png

Referências


Compartilhe


Gympass Editorial Team

A Equipe Editorial do Gympass traz aos líderes de RH as informações necessárias para promover o bem-estar dos colaboradores. Em um cenário profissional em rápida evolução, nossas pesquisas, análises de tendências e guias práticos são ferramentas importantes para levar cada vez mais satisfação e saúde ao ambiente de trabalho.