Bem-Estar Corporativo

Quão importante é o salário para atrair e reter talentos?

27 de nov. de 2023
Última alteração 20 de dez. de 2023

Em 2022, a PwC identificou que o significado do trabalho é tão importante como o salário para 81% dos brasileiros - mas os dados mostram que dinheiro, por si só, não é suficiente para manter um colaborador engajado.

Além disso, o Panorama do Bem-Estar Corporativo 2024 constatou que 93% dos profissionais consideram o bem-estar no trabalho tão importante quanto o salário. No ano anterior, esse percentual foi de 83%.

Esses dados sugerem que as prioridades da força de trabalho global vêm mudando. O dinheiro continua sendo importante, mas deixou de ser o grande protagonista nas estratégias de atração e retenção de funcionários. Como líder ou especialista em Recursos Humanos, você pode estar se questionando: o salário é o fator mais importante para atrair pessoas qualificadas e manter profissionais de excelência na empresa? 

Lead Magnet_PT-BR.png

Mas antes, o que é salário?

Segundo a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), salário é o valor que uma empresa paga aos seus colaboradores pelos serviços prestados, em um determinado período, geralmente a cada mês. Essa quantia é definida de maneira prévia e deve constar na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).

O salário pode variar em razão de diferentes fatores, tais como o porte da organização, a localização geográfica ou a experiência profissional da pessoa.

Qual é a diferença entre salário e remuneração?

Enquanto o salário é um valor fixo e registrado no contrato individual de trabalho, a remuneração é a soma de todas as vantagens financeiras recebidas por alguém. Isso significa que, além do salário, a remuneração pode incluir benefícios como:

  • Horas extras
  • Comissões, gorjetas e gratificações
  • Plano de saúde empresarial
  • Assistência odontológica
  • Vale-alimentação
  • Vale-refeição
  • Participação nos lucros e resultados (PLR)
  • Adicional noturno
  • Adicionais de insalubridade e periculosidade

Ou seja, fazem parte da remuneração todos os valores necessários para calcular o 13º salário, as férias remuneradas, as contribuições para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e os recolhimentos para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Quais são os principais tipos de salário?

Além de entender o que é e quais são as diferenças entre salário e remuneração, é importante saber que existem diferentes tipos praticados no mercado, cada um com suas particularidades e finalidades específicas. Eles são:

  • Salário mínimo: é o menor valor que uma empresa pode pagar a seus colaboradores pelos serviços prestados. O montante é definido por lei e revisto pelo Governo Federal a cada ano.
  • Salário base: também conhecido como salário bruto, é o valor que consta no contrato de trabalho individual e que serve de referência para uma série de cálculos como, por exemplo, o Imposto de Renda (IR) devido.
  • Salário líquido: é a quantia efetiva que cada pessoa receberá, após a dedução de impostos e descontos relativos a benefícios corporativos, como a assistência à saúde e os programas para a aposentadoria patrocinados pela empresa.

O salário como componente do bem-estar dos colaboradores

O bem-estar engloba 8 dimensões que precisam ser consideradas para que as pessoas possam viver de forma plena. São elas: física, emocional, espiritual, financeira, ocupacional, social, intelectual e ambiental.

O salário pode influenciar o bem-estar financeiro de cada indivíduo e ser a peça-chave na busca da tranquilidade com relação ao dinheiro. Isso não significa necessariamente ganhos exorbitantes, mas a capacidade de lidar com despesas recorrentes, gastos emergenciais ou imprevistos monetários, sem que isso cause estresse ou preocupação.

Os pesquisadores Daniel Kahneman e Matthew Killingsworth, em um estudo divulgado em março de 2023, concluíram que, para a maioria dos entrevistados, o dinheiro traz felicidade e a sensação de bem-estar continua a aumentar conforme a renda cresce, com a ressalva de que as pessoas não são igualmente felizes e que, para algumas, existe um limite de ganhos. Ou seja, após atingirem determinado salário não há mais progresso nos níveis de satisfação.

Esses dados servem como referência para você pensar em uma política de cargos e salários justa, transparente e alinhada às competências profissionais individuais. É indicado estabelecer programas de reconhecimento, recompensas por desempenho e iniciativas voltadas ao treinamento e capacitação das equipes, como formas de valorizar e enriquecer o capital humano na sua empresa. 66% dos profissionais de hoje afirmam que sua situação financeira prejudica a concentração no trabalho e 67% não conseguem investir em seu bem-estar.

Sem dúvida, salário é um importante componente do bem-estar dos colaboradores. Mas de nada adianta oferecer acréscimos substanciais no fim do mês se a carga de trabalho aumentar em igual proporção.

Como complementar seu plano de cargos e salários através do bem-estar

Um plano de cargos e salários descreve a estrutura hierárquica da empresa, as responsabilidades de cada pessoa no organograma e a remuneração definida para cada função, assim como os caminhos necessários para conseguir um aumento ou promoção.

Um plano de cargos e salários transparente, bem planejado e compatível com a demanda do mercado e com os interesses dos colaboradores coloca a sua empresa em posição de vantagem competitiva e pode contribuir para sua estratégia de atração de talentos.

Mas o salário por si só não é capaz de manter ninguém em um ambiente tóxico, com liderança despreparada e comunicação ineficiente. Um levantamento constatou que 50% das pessoas pedem demissão por causa de seus chefes. Cabe ao departamento de RH mapear os pontos de preocupação e traçar ações de melhoria, como:

87% dos colaboradores relatam que deixariam uma empresa que não prioriza o bem-estar. Daí a necessidade de complementar o seu plano de cargos e salários por meio de iniciativas voltadas à saúde integral das equipes.

Não escolha entre salário ou bem-estar, ofereça os dois

O trabalho e a vida pessoal têm uma relação de interdependência. Empresas que adotam uma abordagem holística para apoiar os colaboradores e suas famílias em suas demandas de saúde têm resultados positivos com relação à produtividade, ao engajamento, à satisfação, além de economia nos gastos com a atração e a retenção de talentos. Quer saber como podemos ajudar? Converse com um especialista em bem-estar do Gympass hoje mesmo.

Fale com um especialista em bem-estar_BR2.png

Referências


Compartilhe


Gympass Editorial Team

A Equipe Editorial do Gympass traz aos líderes de RH as informações necessárias para promover o bem-estar dos colaboradores. Em um cenário profissional em rápida evolução, nossas pesquisas, análises de tendências e guias práticos são ferramentas importantes para levar cada vez mais satisfação e saúde ao ambiente de trabalho.