Bem-Estar Corporativo

Por que usar um teste de competência no processo seletivo?

23 de fev. de 2024
Última alteração 23 de fev. de 2024

Uma estratégia de atração de talentos bem estruturada permite que você consiga chamar a atenção de profissionais de alto nível. A definição dos requisitos para a vaga é o primeiro passo para determinar o perfil da pessoa que você precisa contratar. 

Mas, como ter certeza de que os candidatos têm, de fato, as qualificações para o cargo? Além de perguntas de entrevista de emprego bem pensadas e direcionadas, você também pode aplicar um teste de competência.

Essa ferramenta tem o objetivo de comprovar se as características descritas no currículo são verdadeiras e listar as aptidões de cada candidato, usando-as, inclusive, como critério de desempate. Essa prática também evita a interferência de vieses inconscientes em sua escolha.

Checklist de RH para os primeiros 90 dias de um novo colaborador.png

O que é um teste de competência?

O teste de competência, também conhecido como avaliação de competências, é um conjunto de técnicas utilizadas pelo departamento de Recursos Humanos para verificar se os candidatos atendem aos requisitos necessários para preencher uma posição em aberto. Pode ser aplicado em forma de questionário, de dinâmicas de grupo ou de entrevistas.

Os 3 pilares de testes de competência

De acordo com o psicólogo Scott B. Parry, em seu livro The quest for competencies (A busca por competências), os três pilares de um teste de competência são: conhecimentos, habilidades e atitudes, ou CHA. Esse acrônimo quer dizer:

  • Conhecimentos (C): significam o grau de entendimento sobre determinado assunto. O conhecimento pode ser adquirido por meio da formação acadêmica tradicional, cursos complementares, uma rotina de leitura consistente ou via treinamento profissional.
  • Habilidades (H): dizem respeito à capacidade de colocar em prática toda a teoria aprendida. As habilidades podem ser medidas em termos de rapidez, precisão ou técnica empregada.
  • Atitudes (A): representam a postura diante de fatos e pessoas. As atitudes caracterizam o modo como alguém lida emocionalmente com as situações, e pode influenciar sua percepção, seu comportamento e até a sua motivação no trabalho.

É recomendado que um teste de competência seja feito considerando os três conceitos descritos acima. Assim, você garante que os candidatos sejam avaliados de diferentes perspectivas.

As vantagens de usar um teste de competência no processo seletivo

Alguns dos principais benefícios de adotar um teste de competência no processo seletivo são:

Diminuição de erros na contratação

Processos mal definidos são um dos erros críticos de RH na atração e retenção de talentos. Além de construir a descrição do cargo em parceria com o gestor da equipe, é importante que você divulgue a vaga nos meios apropriados. Essas práticas ajudam a despertar o interesse das pessoas certas e caberá ao teste de competência afunilar ainda mais o leque de opções, e minimizar as chances de falhas na escolha do futuro colaborador.

Otimização do tempo

Atualmente, já existem ferramentas de RH automatizadas capazes de avaliar as habilidades comportamentais e os conhecimentos técnicos dos candidatos. São plataformas e softwares que fazem a triagem inicial das pessoas interessadas na vaga em questão e, em seguida, enviam de forma automática o teste de competência para a pessoa responsável pela contratação. Além de garantir a imparcialidade e a segurança no processo, possibilitam o ganho de tempo, sobretudo em seleções muito extensas.

Redução de custos

Um processo de recrutamento malfeito tende a custar caro para as empresas. E não apenas em termos financeiros.

O teste de competência tem o objetivo de assegurar que os futuros colaboradores tenham o que a vaga precisa. Por exemplo, o conhecimento necessário para executar as tarefas, habilidades para resolver problemas ou se comunicar de forma ágil, empática e assertiva e atitudes em linha com os valores do negócio, a fim de evitar retrabalho e prejuízos.

Adequação à cultura organizacional

Um bom teste de competência ajuda você a detectar traços de personalidade e características comportamentais que podem fortalecer a cultura corporativa. Um ambiente de trabalho saudável e positivo favorece a colaboração, a produtividade e o engajamento e, consequentemente, a prosperidade do negócio.

Por fim, colaboradores que se identificam com o propósito da empresa são mais felizes, menos propensos a deixar o emprego e contribuem para a redução dos índices de turnover.

Facilidade na elaboração do PDI

Um plano de desenvolvimento individual (ou PDI) é um instrumento usado pelas organizações para investir no crescimento de cada integrante do time dentro da empresa, por meio do mapeamento de seus pontos fortes e fracos. O teste de competência, assim como as avaliações de desempenho periódicas, serve de base para direcionar seus esforços de treinamento, simplificando o processo de construção do PDI.

Segundo pesquisa, apenas 27% das empresas brasileiras têm programas para o upskilling (qualificação) de sua força de trabalho. Uma das formas de se diferenciar da concorrência é se empenhar nas estratégias de aperfeiçoamento das competências de seus colaboradores.

Exemplos de perguntas em um teste de competência profissional

Testar as competências no processo de seleção ajuda a determinar o quanto um candidato está preparado para assumir dada função na empresa. Além de perguntas convencionais e relacionadas ao dia a dia de trabalho, você deve pensar em questões que possam medir os níveis de destreza, proatividade, inteligência emocional ou a capacidade de trabalhar em equipe. Alguns exemplos são:

“Como seria o seu dia de trabalho ideal?”

Esse tipo de pergunta objetiva descobrir se o candidato saberia se organizar, administrar bem o tempo disponível, delegar tarefas e atuar em colaboração com seus colegas e gestores. Também é importante investigar como a pessoa faz uso dos horários de descanso, ou seja, se destina um período adequado para se alimentar ou se exercitar.

“Qual é a sua reação quando interrompem o que você está fazendo e pedem para focar em outra tarefa?”

Esse é um questionamento interessante para verificar se o candidato solicitaria ajuda, instruções e se saberia negociar prazos. Além disso, é possível detectar se a pessoa teria iniciativa para assumir outros desafios, interesse em aprender coisas diferentes e medir a sua capacidade de adaptação a mudanças repentinas.

“Qual é a sua atitude diante de uma situação de conflito no trabalho?”

Esse é um bom ponto para analisar se o candidato agiria proativamente ou preferiria se manter imparcial diante de cenários complexos. A depender da resposta, você consegue identificar se a pessoa se baseia em dados para tomar decisões assertivas, se existe a preocupação em preservar o clima empresarial e se ela usaria a criatividade para resolver problemas difíceis.

“Por que você é o candidato ideal para esse cargo?”

Mais que explorar as qualificações do candidato, essa pergunta avalia o modo como a pessoa se expressa, se existe clareza na comunicação e se ela consegue organizar as ideias com coerência e lógica. É também uma ótima oportunidade para apurar se as ambições individuais são compatíveis com o que a empresa oferece em termos de benefícios, aprendizado e reconhecimento profissional.

Contratação com base em competências e sua relação com o bem-estar

75% dos recrutadores preveem uma priorização da contratação de pessoal com base em competências nos próximos 18 meses, o que gera oportunidades para as pessoas que, por exemplo, não têm uma formação acadêmica abrangente. Isso também é um passo significativo rumo à maior diversidade e inclusão no ambiente de trabalho, uma vez que a exigência de um diploma restringe o acesso às vagas.

O teste de competência é uma ferramenta poderosa para ajudar você a encontrar as pessoas certas para posições em aberto na sua organização. Todavia, manter esses novos colaboradores na empresa requer um pouco mais de empenho.

Ter uma estratégia de retenção de talentos bem planejada, que valorize as contribuições e reconheça os esforços é crucial. Também é importante contar com um programa de bem-estar integral, que atenda às mais variadas necessidades dos colaboradores e suas famílias. Não sabe por onde começar? Converse com um especialista do Gympass para saber como podemos ajudar você nessa jornada.

Fale com um especialista em bem-estar_BR1.png

Referências


Compartilhe


Gympass Editorial Team

A Equipe Editorial do Gympass traz aos líderes de RH as informações necessárias para promover o bem-estar dos colaboradores. Em um cenário profissional em rápida evolução, nossas pesquisas, análises de tendências e guias práticos são ferramentas importantes para levar cada vez mais satisfação e saúde ao ambiente de trabalho.